Apenas diga SIM!

28/03/2018

Ubisoft acerta em cheio e Far Cry 5 remete ao que mais (e sempre) gostamos de ver na série

Às vezes certas mudanças não são bem vindas. Assim como Assassin´s Creed Origins, Far Cry 5 retoma tudo aquilo que antigos e novos jogadores da série querem ter em mãos: Uma jogabilidade fantástica atrelada em uma história polêmica e incrível, cercada em um cenário onde muitos de nós talvez nunca irá colocar os pés um dia, além de um enredo completo e bem fabricado.

Só para lembrar, depois de Assassin´s Creed Syndicate, que a nosso ver é um jogaço, porém "fora da curva" naquilo que diz respeito à essência da série, esperamos por algo novo. E a publischer foi lá e entregou um dos mais incríveis jogos já produzidos, apresentando à origem dos assassinos e tudo aquilo que há por trás dos personagens, em uma magnífica viagem ao Egito antigo.

Agora chegou a vez de Far Cry, série que essencialmente alinha mistérios em lugares paradisíacos e uma notória violência sem freio centralizada em um vilão que, cá entre nós, quase sempre se torna mais importante que o personagem jogável.

Assim foram todos os jogos Far Cry até agora, exceto o mais recente, quando uma ideia bacana acabou indo por água abaixo em Far Cry Primal, onde a pré-história era o centro das atividades, em um mapa confuso e mistérios fora da "rota" que a franquia sempre alinhou.

Agora chegou a hora de falar sobre o novo e belíssimo Far Cry 5, jogo com uma hype incrível e absoluta desde a E3 2017, quando a Ubisoft o anunciou. Nele, tudo parece voltar ao normal. Ou seja, um vilão odiado, cínico e cruel, que domina o condado de Montana, EUA, através de sua seita.

Aqui você é um policial que topa conhecer o local para prender O Pai, nome dado a Joseph Seed, o tal pastor.

A jogabilidade inclui maneiras furtivas de sobreviver e, claro, uma boa mira quando é hora de se aproximar de milícias aliadas ao vilão, sempre com equipamentos adequados e armas que vagarosamente são bloqueadas conforme seus passos durante o jogo.

Uma das coisas novas em Far Cry 5 é a libertação das vítimas, que, em sua maioria, podem se tornar aliadas a suas missões, com comandos simples de ajuda e feitoria pra cima dos inimigos.

Joseph tem aliados importantes no mapa, dividido em 5 partes. Porém 3 delas são dominadas por tenentes. São eles: John, Faith e Jacob, que você deve eliminar para libertar essas regiões.

Algumas missões paralelas continuam parecidas e muitas são bem agradáveis de concluir, dando força a resistência e avançando a história de maneira sólida.

A tal "pitada" religiosa, certamente a mais entusiasmada polêmica durante os vídeos de pré-lançamento, ficou rasa demais. Não há, em momento algum, uma conotação mais "pesada" em relação à religiosidade ou críticas inclinadas a este tema. Ou seja, o vilão é o "deus" da seita e só isso. Já em relação a vida interiorana norte-americana sobra humor e alfinetadas críticas.

Com visual gráfico deslumbrante Far Cry 5 trouxe um mundo extremamente orgânico, uma quantidade grande de veículos que podem ser utilizados, vida animal rica e uma história pra lá de importante.

Obrigado Ubisoft!