Espionagem e humor em Beholder Complete Edition

14/02/2018

Jogo chega aos consoles e traz uma experiência diferente, com mix de conflitos dolorosos em um mundo onde ser oprimido é quase normal

Soa estranha esta chamada, não? Mas este é um resumo da edição completa de Beholder, um jogo pra lá de diferente e, acreditem bom de jogar.

A Warm Lamp Games situa você em um condomínio onde terá de alinhar, da maneira mais inteligente possível, a espionagem dos cidadãos que ali residem.

Você é Carl Stein, homem de família e agora responsável pelo prédio substituindo o antigo senhorito, que mantinha as ordens por ali. Então a sobrecarga de atenção em cuidar de cada detalhe para espionar os moradores (afinal, você é um dos comparsas do governo), principalmente nos quesitos direcionados às leis que mudam a todo instante é a mecânica central do game.

As informações adquiridas levam o jogador à fase de decisões, onde cada escolha reflete no comportamento e continuidade da trama. Então se o governo impuser uma lei onde há proibição de uso e venda de bebidas importadas, por exemplo, você terá de ficar de olho nas câmeras disfarçadas, entre outras saídas para aquisição de informações valiosas. E quando o flagra é conferido, acontece o melhor momento do jogo. É nessa hora que você poderá optar em denunciar o cidadão e prende-lo, ou, porque não, utilizar o fato para beneficio próprio chantageando o "criminoso" em troca de dinheiro.O legal é que tudo poderá envolver você e sua família. Então parar e pensar antes da tomada de qualquer decisão é uma prática importante para não desiludir seu final.

Com gráficos diferentes e notória interpretação obscura, as imagens não cansam e traduzem em um espírito próprio de gameplay.

Em sua versão definitiva o jogo possui o DLC Sono da Felicidade, que apresenta os trabalhos do antigo senhorio, antes da chegada de Carl.