Da Cracóvia para o Xbox One

31/01/2018

Drift Zone está disponível para console. Mas deveria ter ficado no mobile

Para muitos, Drift é um saco. E não podemos negar que nossa redação também entre nessa turma dos odiares de carros escorregando ao invés de disputarem freadas em uma pista normal. Porém, talvez seja porque nenhum jogo conseguiu trazer a essência do gênero pra valer. E Drift Zone é este jogo.

Apesar de ridiculamente simples, mais parecendo um jogo para mobile, o game de mais um estúdio polonês na área (eles estão invadindo o mercado) força você gostar da coisa. Melhor dizendo, do estilo de pilotagem. Mas não do material em si, que realmente parece ter entrado na Live por meios puramente comerciais, já que não agrada, infelizmente.

São três modos para jogar, torrando os pneus e com o alvo sempre voltado ao tempo de volta. Tudo muito simples e objetivo, sem muita animação e com aquela tristeza de estar jogando um projeto inacabado porque não há como acabar.

Não dá pra negar que há momentos de euforia, quando conseguimos passar pelas trilhas adequadas com os carros "quadradões". Mas nada que pague a frustração do conteúdo completo.

A carreira é aquela de sempre. Ou seja, vença os tempos, ganhe dinheiro e gaste em peças para seus carros. E nessa hora, ao menos, o jogo consegue se destacar nas personalizações, que abrangem diversos tipos de mudanças.

Os fãs de drifting, em particular, podem aproveitar o game, mas não encontrarão realismo algum. Então se você quer só se divertir, com partidas "x1" ou sozinho mas sem muita opção do que fazer, pague e seja feliz.