A turma está de volta

06/07/2018

Franquia entrega um material diferente e promete superar expectativas

Durante a E3 2014, muitos foram os comentários sobre o teaser apresentado pela Ubisoft apontado para um jogo de corridas ao melhor estilo livre e focado em multiplayer. Porém, quando The Crew foi lançado em dezembro de 2014, a "coisa" parecia não ser tão legal assim.

Apesar de uma entrega inédita onde os jogadores podem atravessar os Estados Unidos inteiro, cruzando com as principais cidades norte-americanas em detalhes compactados e dezenas de missões para exploração, sua jogabilidade e gráficos não eram tão belos assim, mesmo depois de uma repaginada que a publisher investiu.

Agora parece que o jogo virou - literalmente - para um estilo mais próximo à Need for Speed em uma campanha de mundo aberto, mas não tão aberto assim.

Apesar de incrível e voraz no que diz respeito à entrega de gameplay frenético por muitas vezes, The Crew 2 é bom, por hora. Tudo porque a inclinação de um mundo enorme de exploração ficou um tanto "apagado" em cidades quais vão sendo liberadas enquanto você joga. E mesmo depois de algumas horas "abrindo" caminhos pelo jogo, apesar de sentir um mapa gigante para ser contornado, fica a sensação de tudo parecer menor, apesar de fidelizar os principais marcos turísticos das cidades.

A qualidade gráfica foi melhorada em quase todas as cenas. Exceto quando há alterações de clima e brilho do Sol, quais agora parecem pioradas na iluminação.

Diferente da história mais dramática alinhada no primeiro jogo, The Crew 2 coloca o jogador na pele de um piloto aspirante, que tem de acelerar (literalmente) para aquisição de seguidores em suas redes sociais, além de agora também apresentar qualidade na pilotagem em duas rodas, lanchas e aviões de competição.

Direcionado à diversão e aventura (até o ponto que jogamos), o material vale quanto pesa. Mas vale também esperar um pouco para ver até onde a Ubisoft quer chegar com ele.